Mais recente

Gaúcho Da Fronteira - Meu Rastro (1980)

Raul Seixas - Novo Aeon (1975)


Artista: Raul Seixas
Disco: Novo Aeon
Ano: 1975
Esta edição: 2005 (Re-edição em CD)
Gravadora: Philips (Edição original) / Universal (Esta edição)
Estilo: Rock, MPB
Tempo total: 36:54 (com Bônus)
Formato: MP3 320k (+ scans)

Faixas:
01. Tente Outra Vez - 2:22
02. Rock Do Diabo - 2:11
03. A Maçã - 3:21
04. Eu Sou Egoísta - 2:47
05. Caminhos - 1:48
06. Tu És O MDC Da Minha Vida - 3:49
07. A Verdade Sobre A Nostalgia - 2:05
08. Paranóia - 3:50
09. Peixuxa (O Amiguinho Dos Peixes) - 2:09
10. É Fim De Mês - 2:59
11. Sunseed - 2:38
12. Caminho II - 0:56
13. Novo Aeon - 2:31
Bônus
14. A Maçã (Versão De 1993) - 3:20

Um pouco da história:
Raul Santos Seixas (Salvador, 28 de junho de 1945 — São Paulo, 21 de agosto de 1989) foi um cantor e compositor brasileiro, frequentemente considerado um dos pioneiros do rock brasileiro. Também foi produtor musical da CBS durante sua estada no Rio de Janeiro, e por vezes é chamado de "Pai do Rock Brasileiro" e "Maluco Beleza". Sua obra musical é composta por 17 discos lançados em seus 26 anos de carreira e seu estilo musical é tradicionalmente classificado como rock e baião, e de fato conseguiu unir ambos os gêneros em músicas como "Let me Sing, Let me Sing". Seu álbum de estreia, Raulzito e os Panteras (1968), foi produzido quando ele integrava o grupo Raulzito e os Panteras, mas só ganhou notoriedade crítica e de público com as músicas de Krig-ha, Bandolo! (1973), como "Ouro de Tolo", "Mosca na Sopa", "Metamorfose Ambulante". Raul Seixas adquiriu um estilo musical que o creditou de "contestador e místico", e isso se deve aos ideais que vindicou, como a Sociedade Alternativa apresentada em Gita (1974), influenciado por figuras como o ocultista britânico Aleister Crowley.

Cético e agnóstico, Raul se interessava por filosofia (principalmente metafísica e ontologia), psicologia, história, literatura e latim e algumas ideias dessas correntes foram muito aproveitadas em sua obra, que possuía uma recepção boa ou de curiosidade por conta disso. Ele conseguiu gozar de uma audiência relativamente alta durante sua vida, e mesmo nos anos 80 continuou produzindo álbuns que venderam bem, como Abre-te Sésamo (1980), Raul Seixas (1983), Uah-Bap-Lu-Bap-Lah-Béin-Bum! (1987) e A Panela do Diabo (1989), esse último em parceria com o também baiano e amigo Marcelo Nova, e sua obra musical tem aumentado continuamente de tamanho, na medida em que seus discos (principalmente álbuns póstumos) continuam a ser vendidos, tornando-o um símbolo do rock do país e um dos artistas mais cultuados e queridos entre os fãs nos últimos anos. Em outubro de 2008, a revista Rolling Stone promoveu a Lista dos Cem Maiores Artistas da Música Brasileira, cujo resultado colocou Raul Seixas figurando a posição 19ª , encabeçando nomes como Milton Nascimento, Maria Bethânia, Heitor Villa-Lobos e outros. No ano anterior, a mesma revista promoveu a Lista dos Cem Maiores Discos da Música Brasileira, onde dois de seus álbuns apareceram Krig-ha, Bandolo! de 1973 atingiu a 12ª posição e Novo Aeon ficou em 53º lugar, demonstrando que o vigor musical de Raul Seixas continua a ser considerado importante hoje em dia.


Novo Aeon é o quarto álbum de estúdio solo do cantor e compositor brasileiro Raul Seixas, lançado em 12 de novembro de 1975 pela gravadora Philips Records e gravado entre 1º de setembro e meados de outubro de 1975 nos Estúdios CBD, no Rio de Janeiro. Este disco representou uma mudança de postura de Raul Seixas - após os problemas que levaram ao rompimento com o seu então empresário, Guilherme Araújo - com o corte de seu cabelo, menos símbolos no material do álbum e menos misticismo nas letras, que passam a refletir mais os problemas do cotidiano.

O álbum teve uma recepção fria da crítica especializada, com pouquíssimos críticos - mais próximos da estética rock - elogiando o trabalho do cantor baiano. A divulgação pela gravadora foi boa, contando com o lançamento de um compacto duplo e de dois clipes musicais no programa dominical da Rede Globo, o Fantástico. As vendagens foram frustrantes para a gravadora e para o artista, resultando em uma baixa de vendas considerável em relação ao seu último trabalho, o grande sucesso Gita. Entretanto, o disco é visto hoje como um de seus melhores trabalhos e contém alguns dos clássicos do cantor e compositor baiano, como "Tente Outra Vez" e "A Maçã".

Antecedentes
Após o estrondoso sucesso de Gita, Raul rompe com o seu empresário, Guilherme Araújo - responsável pela imagem dos tropicalistas no final da década de 1960 e início da década de 1970 -, por não concordar com o modo como a sua imagem estava sendo apresentada, através de uma construção extravagante e agressiva, baseada na superexposição através de práticas arrojadas de marketing, algo incomum na época. Assim, a quantidade de simbologias em seus discos diminuem (a quantidade de símbolos e misticismo nas letras: por exemplo, esse será o último disco com o selo da Sociedade Alternativa), bem como as entrevistas e o uso da imagem para impactar, para chocar (Raul passa a cortar mais curto o seu cabelo).

Gravação e produção
Em maio de 1975 - época do relançamento de seu álbum de covers de rock, Os 24 Maiores Sucessos da Era do Rock -, Raul retirou-se para a Bahia afim de compor canções para um novo álbum de estúdio. Em meados de agosto do mesmo ano, o compositor baiano já tinha as canções e todo um projeto para o álbum vindouro. Deveria chamar-se Opus 666 e ser uma espécie de continuação de Gita. O cantor embarcaria em uma viagem para os Estados Unidos - a fim de resolver problemas pessoais e fazer shows - e deveria começar a gravar em 1º de setembro. As sessões de gravação realizaram-se nos antigos Estúdios CBD (a gravadora estava em processo de mudança para os novos Estúdios Phonogram de 16 canais, na Barra da Tijuca, mas as sessões de gravação nesses novos espaços só começariam em dezembro de 1975) e correram bem, terminando em meados de outubro, quando Raul fez nova viagem para Nova Iorque. O disco seria finalizado (mixagem e pós-produção) sem a presença do cantor baiano e deveria estar pronto para comercialização no mês seguinte.

Lançamento
O álbum foi lançado em 12 de novembro de 1975 - em LP e fita cassete - pela gravadora Philips Records com uma boa divulgação, atingindo vendagens da ordem de 60 mil cópias. Juntamente com o disco foi lançado um compacto duplo. Também, Raul gravou dois clipes musicais para o programa dominical da Rede Globo, o Fantástico ("Tente Outra Vez" e "A Maçã"). O lançamento deste álbum representou uma baixa nas vendagens dos álbuns de Raul que vinham crescendo constantemente desde o seu álbum de estreia, passando pelo recordista que foi Gita, com mais de 140 mil cópias vendidas. Em retrospectiva, a divulgação foi considerada problemática pela gravadora que considerou um erro não lançar uma canção de trabalho com uma grande antecedência em relação ao lançamento do álbum, como havia feito nos últimos dois discos de Raul (com "Ouro de Tolo" - lançada em maio de 1973 - e "Gîtâ" - lançada em julho de 1974). Outra razão para as baixas nas vendas foi uma pretensa falta de foco de Raul, que não esteve disponível para eventos de divulgação - aparições em programas de rádio e tv, bem como shows - em uma época considerada essencial para a promoção do trabalho. Este seria o último álbum de Raul na Philips produzido por Marco Mazzola, já que o produtor se mudaria para a WEA juntamente com André Midani, sendo essa uma das razões, inclusive, para Raul trocar de gravadora em meados de 1977.

Relançamentos
O álbum foi relançado em LP em 1983, pelos selos Philips Records (série azul) e Fontana Records (série verde). Seu primeiro lançamento em CD foi feito no ano de 1993, pelo selo Philips Records. O álbum seria relançado dentro de uma caixa contendo os seis discos lançados por Raul na gravadora remasterizados e com faixas bônus (Os 24 Maiores Sucessos da Era do Rock, Krig-ha, Bandolo!, Gita, Novo Aeon, Há 10 Mil Anos Atrás e Raul Rock Seixas), intitulada Maluco Beleza. A caixa seria relançada em 2009, com o título 10.000 Anos à Frente.

Fonte: Wikipedia

Outros discos do artista já foram publicados aqui no blog (ache eles AQUI).

Prévia:

PEGUE A BR! 
Senha: br320

Comentários