Mais recente

Gaúcho Da Fronteira - Meu Rastro (1980)

Engenheiros Do Hawaii - Várias Variáveis (1991)


Artista: Engenheiros Do Hawaii
Disco: Várias Variáveis
Ano: 1991
Esta edição: 2003 (Reedição em CD - Série Remasterizada)
Gravadora: RCA Victor (Edição original) / RCA Victor/BMG (Esta edição)
Estilo: Art Rock, Rock Progressivo
Tempo total: 45:14
Formato: MP3 320k (+ scans)

Faixas:
01. O Sonho É Popular - 1:28
02. Herdeiro Da Pampa Pobre - 4:03
03. Sala VIP - 4:49
04. Piano Bar - 4:17
05. Ando Só - 3:54
06. Quarto De Hotel - 4:40
07. Várias Variáveis - 0:47
08. Sampa No Walkman - 4:21
09. Muros E Grades - 3:39
10. Museu De Cera - 3:58
11. Curtametragem - 1:57
12. Descendo A Serra - 2:57
13. Não É Sempre - 3:29
14. Nunca É Sempre - 0:49

Um pouco da história:

Por Arthur Dapieve

Os Engenheiros do Hawaii têm o dom de ir contra a corrente. Mesmo quando não querem. É uma coisa de berço: Humberto Gessinger (voz e baixo), Augusto Licks (guitarra e teclados) e Carlos Maltz (bateria), se formaram longe demais das capitais e do movimento punk, excursionaram não pelos isteites e sim pela União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, votaram em Brizola e não no Lula no primeiro turno, e foram os outsiders dos outsiders, mas nem por isso insiders. Isso lhes deu o distanciamento: a juventude sempre periga ser uma banda numa propaganda de refrigerantes. E quando todo mundo se rói com a preocupação de ser moderno, eles dão uma meia trava no tempo. O papa é pop. Um questionamento sobre os seus próprios meios e mensagens.

Pra começar os Engenheiros se autoproduziram em grande estilo. "Não dá mais pra querer ser uma banda de garagem", dizia Maltz numa das pausas das gravações. Ele, por exemplo, só usou bateria eletrônica. Em algumas faixas Gessinger e Licks arriscam os dedos num piano Fender Rhodes. E a audição do LP com headphones remete, implicita e explicitamente, a Roger Waters: são duas vozes justapostas, uma calma e alta, outra desesperada e baixa, ou vice versa; são trechos de programas radiofonicos; são pequenos detalhes instrumentais. Gessinger lembra o que o alegrou no "do it yourself" punk: "Oba! Serei o Steve Howe!" como se o punk nunca tivesse acontecido os Engenheiros são extemporâneos.

Daí sua preocupação com o tempo, o tempo que ao final dos gráficos é igual a movimento, a velocidade. Ó tempos, ó costumes... Eles estão preocupados com a obrigação de serem rebeldes. "Quando eu falo nós, eu falo nós três e não a juventude brasileira", avisa Gessinger. "O disco não é um panfleto." Até porque não reflete somente sobre o sistema mas também sobre o anti-sistema. Escute-se a faixa O exército de um homem só, que tem direito a duas partes: "Não interessa o que diz o ditado/Não interessa o que o estado diz/Nós falamos outra língua/Moramos em outro país". Os Engenheiros estão maduros o suficiente para saber que depois de Longe Demais das Capitais (86), A Revolta dos Dândis (87), Ouça o Que Eu Digo, Não Ouça Ninguém (88) e Alívio Imediato (89, ao vivo, com duas faixas em estúdio, a título e Nau à Deriva), depois de se firmarem como uma das quatro principais bandas do BRock, já encontraram a própria levada no rock-balada bem pessoal.


Várias Variáveis é o quinto álbum de estúdio da banda de rock gaúcha Engenheiros do Hawaii, produzido e lançado em 1991. O disco completa a trilogia iniciada no segundo e terceiro discos da banda. Há redução dos efeitos eletrônicos e a retomada de um som mais rock 'n' roll, mas não repete o mesmo sucesso do anterior, mesmo tendo a canção "Herdeiro da Pampa Pobre", regravação de um antigo sucesso de Gaúcho da Fronteira, bastante executada nas rádios. Este é um dos discos que contém as melhores letras do grupo, porém, o som não é o forte do álbum, sendo o mesmo questionado hoje até pelo próprio Gessinger. Pode-se dizer que foi um disco seminal, pois canções como "Piano Bar", "Muros & Grades" e "Ando Só", em regravações em outros discos, estabeleceram-se como algumas das melhores da banda.

O disco marcou uma sonoridade mais pesada por parte da banda, o que tornou o som dos Engenheiros bastante característico do começo da década de 90. Suas principais canções são: "Herdeiro da Pampa Pobre" (regravação de Gaúcho da Fronteira), "Piano Bar", "Sampa no Walkman" (referência a Caetano Veloso e a canção "Sampa") e "Ando Só".

Assim como o álbum anterior, O Papa é Pop, e o posterior Gessinger, Licks & Maltz ,este disco foi auto-produzido pela banda.

Fonte: Wikipedia / Site Oficial

Outros discos do artista já foram publicados aqui no blog (ache eles AQUI).

Site oficial: www.engenheirosdohawaii.com.br

Prévia:


PEGUE A BR! 
Senha: br320

Comentários