Maskavo Roots - Se Não Guenta, Por Que Veio? (1998)


Artista: Maskavo Roots
Disco: Se Não Guenta, Por Que Veio?
Ano: 1998
Esta edição: 1998 (Edição original)
Gravadora: Chaos/Sony (Edição original)
Estilo: Pop Rock, Reggae
Tempo total: 49:50
Formato: MP3 320k (+ scans)

Faixas:
01. Estrada De Terra - 3:04
02. Uma Noite - 4:09
03. Djorous - 3:19
04. Melodia Que Eu Conheço - 3:10
05. RSF (Até De Manhã) - 3:58
06. Homem Não Tem Amiga - 2:36
07. Vai Vai Vai - 3:53
08. 1 + 1 = 3 - 2:28
09. Vaso Chinês II - 3:06
10. Qui Nem Giló - 2:30
11. Tempestade - 3:38
12. Mais Vinte Anos - 4:02
13. Workin' Nite - 4:15
14. Fora De Alcance - 5:36

Um pouco da história:
Maskavo é uma banda de reggae brasileira formada em Brasília em 1993. Mudaram-se para São Paulo no ano de 2000 com a consolidação da formação. Antes desse período a banda era conhecida por Maskavo Roots (1993-1999), reduziram o nome devido a mudanças na formação. Seus integrantes atualmente são: Marceleza (vocal), Prata (guitarra), Rodrigo Celestino (baixo), Felipe Passos (teclado), Nato Marolado(percussão) e Vini Gomes (bateria).

Desde 2000, são mais de 950 shows pelo Brasil, contabilizando também nove álbuns, além de dois DVD e sete videoclipes.

Formação e primeiras atividades (1991-1994)
A história começa quando o baterista Txotxa convida o guitarrista Prata, em 1991, para integrar O Cravo Rastafari, banda que fazia cover de Bob Marley por Brasília e teve início em 1990. O Cravo não tinha muita rigidez na formação pois era integrada por amigos, mas conforme o tempo foi passando, a arregimentação da banda foi inevitável. No final de 1992, com a agenda bastante ocupada, o dono da banda, Beto BrahnsHoven saiu do grupo e levando o nome junto. O baixista Ricardo Marrara ocupou seu lugar fechando a formação com Marcelo Vourakis (voz), Joana Lewis (voz), Quim (teclados), Prata (guitarra), Txotxa (bateria) e o criador do nome Maskavo Roots Carlos Pinduca (guitarra).

O ano de 1993 é marcado pelo batismo do Maskavo Roots e pela gravação da primeira fita demo da banda. Essa primeira demo continha as músicas "Blond Problem", "Far Away", "Yo No Quieto Trabajar" e "DDP". A época estava bem propicia ao lançamento de uma banda no Brasil, o movimento de rock estava fervilhando com bandas Brasília como Raimundos, Little Quail, Pravda , Oz, Low Dream, Os Cabeloduro, D.F.C; e do resto do país como O Rappa, Virna Lisi, Pato Fu, Planet Hemp, Chico Science & Nação Zumbi e Mundo Livre S/A. Nessa empolgação essa primeira Demo chega nas mãos do criadores do Selo Banguela, Carlos Eduardo Miranda e os Titãs. Estes pediram uma versão em português das letras. A banda na mesma semana produziu uma nova fita demo com as músicas Tempestade, Quinta e Besta-Mole. Após um show em São Paulo no extinto AEROANTA, no Largo do Batata, foi assinado o primeiro contrato fonográfico com o Selo Banguela Records que era ligado à Warner Music.

Logo no começo de 1994, o Maskavo Roots foi convidado a participar de um show na praia de Ipanema, no Rio de Janeiro. Aproveitando o embalo do show, foi assinado o primeiro contrato com o Banguela. A banda então retorna ao seu quartel general, a Chácara da avó do Marrara, D. Ofélia. A chácara foi o ponto inicial da preparação do disco, a grupo inteiro se reunia em todas as tardes para criar os arranjos do disco. A gravação foi realizada em outubro, no estúdio Bebop, na Vila Madalena em São Paulo. Contou com a produção de Carlos Eduardo Miranda e Nando Reis. Antes da gravação, o Maskavo fez um show em Porto de Galinhas, Pernambuco com a novidade Chico Science e Nação Zumbi.

Maskavo Roots e mudanças na formação (1995-1996)
Em 1995, lançam o primeiro disco, homônimo, com 15 faixas inéditas. O material foi lançado em CD, K7 e LP. Foi o último ano em que as gravadoras ainda prensavam o material fonográfico em vinil. A faixa "Escotilha" é escolhida para a trilha sonora do segundo CD/LP da primeira temporada de Malhação da Rede Globo. Txotxa, o baterista, ao final do ano comunica a saída do grupo que se concretizaria no inicio de 1996.


Era independente e era Chaos (1997-1999)
Em 1997 a banda decide preparar mais um disco. Com o fim do Banguela, os quatro integrantes remanescentes (Prata, Quim, Marrara e Marcelo Vourakis) decidem fazer o material de forma independente que se chamaria Melodia Que Eu Conheço. Fecham-se de novo em estúdio e dessa vez alugam uma sala no cultuado Porão do Rock na 207 norte em Brasília.

Com esse mesmo disco o Maskavo Roots é contratado pelo selo Chaos da Sony Music, fazendo o retorno ao casting das gravadoras multinacionais. É indicado para o produção do terceiro CD o inglês Paul Ralphes, baixista da banda gaulesa Bliss e que estava se radicando no Rio de Janeiro como produtor musical. A produção tem inicio no Rio e vira a se estender até meados de fevereiro de 1998. O CD é chamado de Se não Guenta, por que Veio? Para o lançamento é preparado o clipe de "Djorous", gíria criada por amigos cervejeiros de Brasília e futuros participantes da Cia. de Comédia Os Melhores do Mundo. Para a segunda faixa de trabalho é escolhida a regravação de "Tempestade" com Samuel Rosa do Skank.

Após esse trabalho, a banda de arrisca mais na estrada, passando várias temporadas fora de casa. Foram turnês por várias cidades do Sudeste e Sul do Brasil. A banda passou um tempo morando no Rio de Janeiro também. A turnê se estendeu até meados de 1999, que começa ainda com a turnê do disco Se não Guenta, por que Veio?. A banda é convidada a participar de um festival na cidade de Montenegro, logo após o carnaval, no Rio Grande do Sul, com as bandas Comunidade Ninjitsu, Ultramem e Nenhum de Nós.

Na virada do milênio, a banda decide mudar o nome para somente Maskavo e seguir tocando apenas Reggae.

Fonte: Wikipedia

Prévia:

PEGUE A BR! 
Senha: br320